Navegar para Cima

Notícias

Ateliê das Luzes proporciona espaço de experimentação para a EI

Proposta de vivência integrada com as Diretrizes da Educação Infantil
18/08/2016
Sala de Aula
Proposta de vivência integrada com as Diretrizes da Educação Infantil

Com o objetivo de proporcionar um espaço diferenciado para as vivências da Educação Infantil, o colégio montou pelo segundo ano consecutivo o Ateliê das Luzes. O espaço foi criado para que as crianças possam experimentar conceitos como luz e sombra, ter contato com formas e texturas diferentes e perceber atividades rotineiras de uma forma diferenciada, aprendendo novas formas de interação. Organizados através de cronograma, todas as turmas de Educação Infantil tiveram a oportunidade de visitar o Ateliê e realizar vivências no local.
O ateliê possui apenas uma luz negra e conta com três principais espaços, o cantinho da leitura, que permite que as crianças interajam com os livros usando lanternas e outros sentidos com a audição e o tato, a mesa interativa, que conta com objetos neon, tais como pratos, copos, canudos, massas de modelar, o que permite a livre interação de cada criança e por fim, o espaço com o projetor, em que as crianças vão construindo imagens com elementos naturais como folhas e areia enquanto observam a sua criação projetada na parede. Além dos espaços pré-determinados, as crianças podem usar as lanternas e elementos em neon para descobrir novas brincadeiras.
A proposta do Ateliê foi inspirada nas escolas de Reggio Emilia e no legado de Loris Malaguzzi, documentos que estão sendo estudados na estruturação das novas Diretrizes da Educação Infantil da Rede Marista. Os ateliês na Educação Infantil possibilitam aulas práticas e vivenciais que buscam oportunizar espaços de experimentação para sensibilizar o gosto e os sentidos entre as crianças. No Ateliê das Luzes, por exemplo, são feitas descobertas a partir da incidência da luz, que projetam não somente sombras, mas revelam nuances, cores e ranhuras escondidas, são exploradas variações de cores, formas e sensações através da experimentação do escuro, da luz e da luz negra. Além disso, essa vivência possibilita o desenvolvimento de múltiplas linguagens expressivas buscando ver o que muitas vezes não está visível aos nossos olhos.