Navegar para Cima

Notícias

A importância de uma escuta acolhedora

Escutar com qualidade respeita e valoriza os saberes das crianças.
26/07/2018
Nosso jeito de educar
Escutar com qualidade respeita e valoriza os saberes das crianças.

​​​​​Quem pensa que a criança é como uma folha em branco a ser preenchida não compreende o seu verdadeiro potencial. Ser ouvida e ter sua opinião considerada está entre os seus direitos fundamentais. Por isso, a pedagogia da escuta acredita, respeita e valoriza a participação e os saberes das crianças. Trata-se de uma escuta sensível, isto é, estar disponível ao outro, acolhendo os modos distintos como cada um pensa e encorajando os sujeitos a criar ideias, hipóteses e reformular caminhos. 

De acordo com as Diretrizes da Educação Infantil Marista, documento norteador da ação pedagógi​​​ca deste segmento de ensino, escutar não se traduz em um simples ouvir, mas sim em construir perguntas, aguçar as dúvidas, fomentar a curiosidade, a conversa e a aprendizagem.  A ação da escuta permite que as crianças se sintam motivadas e confiantes em expor suas percepções, sem receios de julgamento de acerto ou de falha. A criança quando compartilha tempo, espaço e experiência com quem lhe escuta mostra o quanto é capaz de dar vida ao que encontra, produzindo ideias e cultura. Assim, desenvolve sentimentos e expressa sua identidade. 

​Aprendendo com as crianças

No Marista Assunção a escutar as crianças está relacionado a perceber as pluralidades, as curiosidades e as necessidades que elas trazem. Conversar, brincar, observar e, até mesmo, interagir silenciosamente são ferramentas de uma escuta acolhedora. “A escuta sensível implica em responsabilidade, em saber o que fazer, como cuidar daquilo que as crianças nos trazem, por isso ela deve fazer parte da nossa rotina a partir de diferentes interações individuais e coletivas”, comenta a orientadora educacional Gisele Rebolho. ​

​Destas relações interativas surgem inúmeras motivações para o trabalho, pautado pela participação das crianças na construção dos projetos e das atividades. Assembleias, observações, brincadeiras e registros ajudam a criar intencionalidades pedagógicas que suprem as necessidades percebidas em uma escuta sensível é papel do educador que cuida e respeita o jeito de experimentar e compreender o mundo de cada sujeito.

Estar ao lado da criança, promover conversas em família e votações coletivas, observar as brincadeiras com os amigos, registrar e fotografar situações cotidianas ou simplesmente conversar sobre o dia na escola são maneiras de promover uma escuta sensível além da escola. Escutar é a base de toda relação e envolve ação, reflexão e troca, sendo essencial para a comunicação. Portanto, a pedagogia da escuta é uma atitude de responsabilidade com o que é compartilhado e que nos conecta com a vida.