Navegar para Cima

Notícias

A importância de uma escuta sensível e acolhedora

A pedagogia da escuta é uma atitude de responsabilidade com o que é compartilhado e que nos conecta com a vida.
18/09/2018
Projetos
A pedagogia da escuta é uma atitude de responsabilidade com o que é compartilhado e que nos conecta com a vida.

​​Quem pensa que a criança é como uma folha em branco a ser preenchida não compreende o seu verdadeiro potencial. Ser ouvido e ter sua opinião considerada está entre os direitos fundamentais do jovem. Por isso, a pedagogia da escuta acredita, respeita e valoriza a participação e os saberes das crianças. Trata-se de uma escuta sensível, isto é, de estar disponível ao outro, acolhendo os modos distintos como cada um pensa e encorajando os sujeitos a criar ideias, hipóteses e reformular caminhos.

De acordo com as Diretrizes da Educação Infantil Marista, documento norteador da ação pedagógica desse segmento de ensino, escutar não se traduz em um simples ouvir, mas, sim, em elaborar perguntas, aguçar as dúvidas, fomentar a curiosidade, a conversa e a aprendizagem.  A ação da escuta permite que as crianças se sintam motivadas e confiantes em expor suas percepções, sem receios de julgamento de acerto ou de falha.

Quando compartilha tempo, espaços e experiências com quem lhe escuta, a criança mostra o quanto é capaz de dar vida ao que encontra, produzindo ideias e cultura. Assim, desenvolve sentimentos e expressa sua identidade. Escutar é a base de toda relação e envolve ação, reflexão e troca, sendo essencial para a comunicação. Portanto, a pedagogia da escuta é uma atitude de responsabilidade com o que é compartilhado e que nos conecta com a vida.


Aprendendo com as crianças

No Marista Maria Imaculada, o fazer pedagógico é pautado pela participação das crianças na construção dos projetos e das atividades escolares, com os professores ensinando e aprendendo junto a elas. Por exemplo, no Nível 1, a escuta das professoras aos interesses dos estudantes fez com que a turma iniciasse um estudo sobre figuras, formas e cores. A professora observou que as crianças sempre buscavam e permaneciam bastante tempo usando peças de madeira com formas diversas e cores variadas em suas brincadeiras e jogos. Com essa informação em mãos, ela planejou ações para aprofundar os conhecimentos dos estudantes.

Dessas relações interativas vivenciadas pelos estudantes surge um vasto repertório de múltiplas linguagens que lhes possibilita simbolizar e compreender o mundo. Segundo a coordenadora pedagógica, Socorro Pereira, em nossa proposta pedagógica, no lugar das atividades "prontas", em que o professor é o “dono" do saber, as crianças é que são as disparadoras das primeiras ações pedagógicas. “Nossos corredores, decorados com as produções de nossos estudantes, contam como são as atividades, como são os projetos desenvolvidos, e neles aparecem as primeiras pistas de que a criança é protagonista de seu processo de aprendizagem", ressalta a coordenadora.​