Navegar para Cima

Notícias

O respeito à infância

Brincar é uma forma de aproximar as crianças de projetos pedagógicos e do processo de aprendizagem, se fazendo importante nesta etapa de desenvolvimento
10/10/2018
Educação
Brincar é uma forma de aproximar as crianças de projetos pedagógicos e do processo de aprendizagem, se fazendo importante nesta etapa de desenvolvimento

Se perguntarmos quais memórias guardamos do tempo de escola, certamente algumas serão de brincadeiras. Xadrez, quebra-cabeças, pula-pula, pião, ioiô são entretenimentos que divertiram, e ainda divertem, crianças, adolescentes e até os adultos. Brincar é um aspecto fundamental do aprendizado, é uma forma de apropriação da cultura.

Nossa estudante Dora de Carvalho Gaubert, do Nível 3B da Educação Infantil, revela que gosta muito de brincar. “Quando eu brinco também aprendo”. Além disso, dentro da escola, Dora costuma trazer para seus enredos o desenho de personagens  e também a natureza, como vulcões. No brincar as crianças trazem seus repertórios e os ampliam na relação com os pares.

A educadora Caroline Pereira, do 1º ano do Ensino Fundamental, analisa que o brincar faz parte do cotidiano da criança, porque além de envolver o simbólico, fornece subsídios que ajudam a compor os projetos pedagógicos, dentro do brincar. “Para a criança, o brincar tem todo um sentido e significado, então nos apoderamos para colocar aprendizados, parte pedagógica, entre outros aspectos importantes para ensinar”.  

O 1º ano do Ensino Fundamental tem uma rotina diferenciada por conta do processo de alfabetização, mas o brincar permeia a rotina dos estudantes, dentro dos projetos desenvolvidos em sala de aula, ou ainda na sequência didática, pois também se revela como elemento de aprendizagem, de forma lúdica e suave, como parte do processo de desenvolvimento em que vivem. “Dar valor a isso é também respeitar a infância de nossos estudantes”.

O brincar é especificidade da infância,  é direito da criança, e na prática pedagógica assume caráter formador, exercitando a imaginação e a memória, possibilitando o exercício corporal. No Marista São Francisco, na Educação Infantil e Anos Iniciais, busca-se proporcionar espaços que articulem  brincadeiras com as aulas, favorecendo a aprendizagem escolar e que proporcione alegria, prazer, movimento e solidariedade

O brincar é um direito reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos da Criança (1959), a Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança (1989) e o Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (1990). Nesta semana é oportuno ampliar a compreensão dessa etapa da vida escolar, incentivar as crianças a expressarem-se de forma lúdica e livre.​