Navegar para Cima

Notícias

Atividades que inspiram

Estudantes utilizam diferentes áreas do conhecimento para produzir pontes de massa.
20/11/2018
Nosso jeito de educar
Estudantes utilizam diferentes áreas do conhecimento para produzir pontes de massa.

​​Com base no Projeto Educativo Brasil Marista, que opta pelo planejamento curricular compartilhado, cuja dinâmica se faz no uso de diferentes linguagens, integrando conhecimentos e saberes previamente selecionados, nossos estudantes do 2° ano EM foram desafiados a construírem pontes de macarrão nas matérias de Física, Química, Biologia e Matemática. A atividade propôs aos estudantes momentos de associar o conteúdo de forma prática, interligando os conhecimentos. Deste modo, eles assistiram uma palestra com acadêmico de Engenharia Civil da PUCRS, Luigi Pelizzoli, para obter dicas de como construir pontes. Nas aulas de Química produziram colas e nas aulas de Matemáticas aprenderam a calcular diferentes ângulos e formas. As orientações são as mesmas das competições que ocorrem entre as engenharias, na universidade.

Luigi explicou o passo a passo para a construção​ das pontes.

A professora de Física Rosimeri dos Santos, destacou o envolvimento dos estudantes e a forma como se dedicaram para realizar a tarefa. “A atividade finaliza o projeto que teve início em março, com o objetivo de adequar o novo plano de estudos. Essas atividades possibilitaram que a Física e Matemática se aproximassem da rotina dos estudantes, proporcionando atividades em grupos, com desafios, possibilitando que envolvesse estratégias e integração. Com certeza a realização dessa atividade ficará guardada na memória deles. "

Para confeccionarem as pontes, os estudantes utilizaram o software Tinkercad para realizar a planta baixa, onde os grupos definiram o tamanho através de escalas, utilizando massas de espaguete. A estrutura da ponte foi construída a partir da Física, utilizando o conteúdo de equilíbrio de translação e equilíbrio de rotação, utilizando a estabilidade com o uso de treliças. Para a construção da ponte, foi adotada que a mesma não poderia ultrapassar o peso de 750 gramas. Após a construção, nossos estudantes foram até o laboratório de Robótica para realizar a conclusão do estudo e verificar a resistência de suas pontes. A ponte mais resistente foi a dos estudantes Taís Spinelli, Eduardo Mello, João Teixeira, Pedro Susin, Lucca Demichei e Talita Braun, da turma 221, que aguentou 14,5kg.

Representantes do grupo mostram a ponte mais resistente.

A estudante Talita Braun salientou a importância da iintegração entre os conteúdos e o comprometimento dos colegas na realização das tarefas. “A gente aprendeu a utilizar novas plataformas, como Geogebra e Tinkercad, e assim conseguimos pensar a forma que íamos distribuir o peso e a angulação para equilibrar a ponte. Vale destacar também o trabalho em equipe, pois todos contribuíram e colaboraram para que pudéssemos fazer uma boa apresentação".

Sobre as pontes de macarrão

As pontes de macarrão são realizadas com massas do tipo espaguete e são construídas com o intuito de levar seus executores à experimentação prática de conhecimentos obtidos em sala de aula. Universidades espalhados por todo o mundo organizam competições envolvendo engenharias, onde o objetivo é normalmente construir uma ponte com quantidade específica de material (macarrão e cola) sobre um vão, capaz de sustentar a aplicação de diferentes cargas. Nessas competições, a ponte que sustenta maior resistência por um período de tempo pré-determinado é a vencedora.