Navegar para Cima

Notícias

Simulação do Ensino Médio destaca protagonismo dos estudantes

Nos debates da Simjopa, estudantes simularam os processos de decisão de importantes organismos nacionais e da Organização das Nações Unidas (ONU), os jovens aprofundaram e ampliaram conhecimentos vivenciando situações de crises e buscando soluções...
31/05/2017
Aprendizagem Profissional
Nos debates da Simjopa, estudantes simularam os processos de decisão de importantes organismos nacionais e da Organização das Nações Unidas (ONU), os jovens aprofundaram e ampliaram conhecimentos vivenciando situações de crises e buscando soluções...

​Nos debates da Simulação Interna do Marista João Paulo II (Simjopa), estudantes simularam os processos de decisão de importantes organismos nacionais e da Organização das Nações Unidas (ONU), os jovens aprofundaram e ampliaram conhecimentos vivenciando situações de crises e buscando soluções pacíficas para elas por meio do diálogo.

Na Simjopa, divididos em comitês, os estudantes representaram países e órgãos internacionais e nacionais, abordando temas atuais e de relevância para a sociedade: da Guerra na Síria a Reforma da Previdência, passando por Desenvolvimento Sustentável, entre outros.  Para a estudante Beatriz Rozsanyi, diretora do comitê da Organização Mundial do Comércio (OMC), que abordou o tema Espionagem Industrial, participar da Simjopa foi uma forma diferente de assimilar o assunto. “As propostas que surgiram foram muito válidas e as discussões foram importantes. Além disso, é uma forma diferente de aprender os conteúdos, pois temos que pesquisar para conhecer o posicionamento de outros países. Assim fica até mais fácil e interessante aprender”, conclui.

Para o estudante Pedro Zeus, diretor do comitê da Corte ​Interamericana dos Direitos Humanos (Corte IDH), atuar no projeto é uma forma de melhor entender a situação política do país e do mundo. “Durante a Simjopa, o que aprendemos vai além dos conteúdos do colégio, como fatos históricos, por exemplo, mas, às vezes, vemos na televisão coisas acontecendo na ONU ou na Câmara dos Deputados e, após participarmos da Simulação, conseguimos entender melhor o funcionamento desses órgãos”.

Segundo o professor Eurípedes Braga, desenvolver projetos como estes no Colégio é essencial para a formação dos estudantes. “Não há melhor lugar que a escola para se exercer a cidadania, expor, contrastar opiniões e ​vislumbrar a construção de uma sociedade justa, solidária e comprometida com os valores humanos, e, acima de tudo, valorizar o protagonismo”, salienta.

​Parabéns aos estudantes e educadores envolvidos na realização de mais uma Simjopa!