Navegar para Cima

Notícias

O primeiro caderno de linhas

29/07/2020
Educação
Estudantes do 1º ano do Ensino Fundamental recebem a festa do primeiro caderno de linhas em suas casas

Durante o 1º ano do Ensino Fundamental o processo de alfabetização vai se formalizando. É nesse período que as crianças começam a desbravar o mundo das letras e tornam-se protagonistas do mundo da escrita e da leitura. Mas, alfabetizar não é apenas a decodificação de letras para o usual aprender ler e escrever, alfabetizar é construir caminhos. 

Como parte importante do processo de alfabetização, está também o recebimento do primeiro caderno de linhas, momento muito esperado pelos estudantes. O uso do caderno de linhas auxilia na organização, na direção da escrita e no entendimento dos limites. Para marcar essa entrega, os alunos realizaram a Festa do Caderno em suas casas. O encontro virtual, organizado pelas professoras, contou com muita diversão, música e a presença de dois convidados especiais, o Mágico Petrus e o escritor e ilustrador Cadu Pessoa de Brum, que realizou a contação de sua obra Cadu na festa do caderno. Ao final da festa, os estudantes deram um nome para o seu novo caderno e realizaram um juramento, comprometendo-se a cuidar do seu novo amigo de jornada. 

​​ Texto auxiliar da imagem

Estudantes realizando o juramento conduzido pelo autor Cadu 

Para Cadu, esse encontro com os estudantes foi muito especial. “O livro Cadu e a festa do caderno foi criado com ideias, dicas e pedidos das professoras do primeiro ano do Marista Champagnat, então poder trabalhá-lo com os alunos foi um dos grandes momentos de realização do projeto. Adoro a festa, ela é extremamente simbólica e importante no desenvolvimento da criança. É um momento de conquista de responsabilidades e de superação de obstáculos, marca o surgimento de um novo mundo de possibilidades nas linhas do caderno".​

Ao longo das aulas online do 1º ano do Ensino Fundamental, com o objetivo de estimular o desenvolvimento dos estudantes no processo de alfabetização, as professoras do Marista Champagnat têm trabalhado com diferentes histórias, desenvolvendo diversas habilidades e contemplando variados gêneros textuais. De acordo com Joseline Radünz, mãe da estudante Milena Radünz Lopes, foi necessário adaptar a rotina familiar para contribuir com a alfabetização da filha em meio à pandemia, mas encontram no Colégio o apoio necessário para esse momento. Em relação à Festa do Caderno, Josilene relata: “Foi um momento de muita emoção e muitas surpresas que a escola preparou com muito carinho, e muito comemorado pela Milena. Temos certeza que ela guardará a festa do seu primeiro caderno com muita alegria pois o sentimento que a escola nos transmite é de que juntos somos uma grande família!”. ​

A Festa do Caderno como inspiração para a prática

A partir do encontro com o autor e ilustrador Cadu Pessoa de Brum durante a Festa do Caderno, e inspirados pelas contações que ocorrem durante as aulas online, estudantes no processo de alfabetização passaram a escrever histórias de própria autoria. 

Joaquim Bortoli, de 6 anos, foi um dos alunos a sentir-se desafiado em escrever o seu livro durante a quarentena. Com as obras A Família e a Casa e A selva de Joca, o estudante compartilhou com os colegas como pode ser prazeroso o processo de escrita e que todos são capazes de construir as suas p​róprias histórias. Através desse estímulo e do incentivo da professora, os estudantes produzem e leem para os colegas em aula suas próprias obras, em atividades semanais que estimulam o gosto pela literatura e reforçam o processo de alfabetização. 

botao matriculas.png