Navegar para Cima

Notícias

Terceira fase escolar em meio à pandemia

09/12/2020
Educação
Escola e famílias encaram três cenários diferentes da educação básica em 2020

​​​​​O ano de 2020 exigiu a reinvenção de diversas práticas, inclusive a escolar, que hoje passa, junto às famílias, pelo 3º modelo de escola do ano: a bimodalidade. Do presencial para o online e dele para a readaptação aos novos espaços e formas de convivência: como enfrentar esse momento? 

Uma nova rotina foi repentinamente imposta, e as escolas e empresas passaram a ocupar o lar que antes era espaço apenas para o descanso e lazer. Há de se evidenciar que esse tempo também foi importante e necessário. De acordo com a coordenadora pedagógica da Educação Infantil do nosso Colégio, Vanessa Ramos Guimarães “as experiências vividas pelos estudantes durante os estudos domiciliares, até o mês de outubro, foram muito significativas, pois tivemos o prazer de conviver em família num momento tão singular". Porém, com o retorno à presencialidade, vieram novos desafios. 

O olho no olho se tornou cada vez mais evidente e as formas de afeto foram redesenhadas. O 3º modelo de escola iniciou as atividades com respeito ao distanciamento, uso obrigatório de máscara, novas dinâmicas para se cumprimentar e conviver com os colegas de maneira segura. Um novo processo de adaptação, mas que de forma resiliente e acolhedora pode ser realizado com tranquilidade. 

Confira as dicas da orientadora educacional da Educação Infantil do Colégio Marista Champagnat, Fabiana Dombroski Piccinini, para amenizar as angústias e auxiliar os estudantes a encerrar o ano letivo de forma mais tranquila: 

  1. Mantenha o diálogo, esse é um ponto fundamental e essencial para esse momento. 

  2. Explique sobre as atividades presenciais, faça combinações e dê atenção ao que as crianças têm a dizer. 

  3. Proporcione um ambiente tranquilo, acolhedor e que transmita leveza e segurança, sempre respeitando os protocolos. 

  4. Proporcione momentos que desenvolvam a socialização e a empatia, respeitando esse momento em que não é possível o contato físico. 

  5. Estimule a partilha, o olho no olho, novas estratégias de brincadeiras e de momentos ricos de aprendizagens. 

  6. Priorize a transparência, a acolhida, a partilha de ideias, construções coletivas de estratégias para viver e vivenciar esse período.​