Navegar para Cima

Notícias

Estudantes como protagonistas na sala de aula e na vida

​As metodologias ativas como aliadas na construção do conhecimento
26/07/2018
Nosso jeito de educar
​As metodologias ativas como aliadas na construção do conhecimento

​​​​Um dos conceitos-chave do célebre educador brasileiro Paulo Freire consiste em compreender que “a educação é comunicação, é diálogo, na medida em que não é transferência de saberes, mas um encontro de sujeitos interlocutores". Inspirado nos escritos e na atuação de Freire, o comunicador popular Mario Kaplún também defendia que “só se aprende de verdade o que se vive, o que se recria, o que se inventa, e não o que simplesmente se lê e se escuta. Só há verdadeiro aprendizado quando há processo; quando há autogestão dos estudantes". Dialogando com tais pressupostos, a proposta pedagógica dos Colégios da Rede Marista também acredita no potencial educativo da valorização do estudante como agente de sua aprendizagem.

​Nesse cenário, as chamadas “metodologias ativas" são centrais. A professora de Arte do Marista Santa Maria, Goreti Cortes, explica que o método propõe uma aula investigativa por meio da resolução de problemas, desenvolvendo habilidades cognitivas através de diferentes situações de aprendizagem, como pesquisa, questionamentos e explicações sobre o conteúdo proposto. A proposta é promover aulas menos expositivas, nas quais o estudante é o personagem principal, o maior responsável pelo processo de aprendizagem, e cabe ao professor atuar como mediador do conhecimento", comenta.​

A sala de aula invertida

​​Um exemplo de metodologia ativa é a sala de aula invertida. Essa prática foi usada pela professora Goreti com os estudantes do 7o ano EF para trabalhar as etapas da Sequência Didática da área das Linguagens no componente de Arte. O dispositivo da atividade foi o livro É Proibido Ler Lewis Carrol, publicado em 2015 por Diego Arboleda, com ilustrações de Raúl Sagospe. Partindo da leitura da obra, a turma foi dividida em grupos, que escolheram diferentes personagens para representar em sala de aula. 

Utilizando seus smartphones, os jovens pesquisaram sobre as características de cada personagem e montaram estratégias de apresentação para a turma, utilizando diferentes formas de caracterização, tal co​mo os cosplays – termo em inglês que remete à prática de se fantasiar como personagens fictícios da cultura pop. Em paralelo à apresentação dos estudantes sobre as identidades escolhidas, foi realizada uma reflexão sobre cada uma delas. 

A estudante Cecília Bellochio Goulart, que participou da atividade interpretando o personagem Chapeleiro Maluco, destaca que esse tipo de iniciativa torna as aulas mais dinâmicas e atrativas. “Com a apresentação proposta, consegui perceber a importância de se colocar no lugar do outro, valorizando a pluralidade das pessoas", reconhece. A estudante Julia Daudt Mansilha, que também participou da atividade, menciona: “metodologias como essa são importantes para superar a timidez, o receio de falar em público". Essa autonomia, segundo ela, vai se manifestar não apenas na sala de aula, mas em sua formação integral, em sua atuação em diferentes espaços sociais.

Referências

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983. 

KAPLÚN, Mario. Una pedagogia de la comunicación. La Habana: Editorial Caminos, 2002.

Fonte: Revista Em Família​.


Educação marista

​Educar bem para o bem. Assim é a educação marista traduzida na prática, todos os dias. Somos movidos pelo propósito de contribuir para o desenvolvimento integral dos estudantes, atuando em sintonia com as famílias.

Nas salas de aula e nos demais ambientes educativos, aliamos a preparação acadêmica à formação de valores humano-cristãos, ao cuidado com a vida e o meio ambiente, ao despertar de talentos e a diferentes jeitos de aprender.

Em nossa proposta pedagógica, os educadores atuam como mediadores do conhecimento, isto é, incentivam nas crianças e nos jovens o gosto pela aprendizagem, a autonomia, a socialização e a troca de opiniões.

Tudo isso possibilita que o estudante marista aprenda por inteiro e seja capaz de valorizar cada novo aprendizado, tornar-se consciente e solidário, exercer a cidadania, enfrentar desafios, e, acima de tudo, ser protagonista do seu saber e da construção de um futuro melhor.

Sobre a nossa proposta pedagógica

A educação marista está alicerçada na abordagem educativa de São Marcelino Champagnat, fundador do Instituto Marista, pautada pela formação integral, afetividade, cultura da solidariedade e da paz, pela crença de que todo sujeito tem potencial para aprender.

A metodologia implementada fomenta a expressão pessoal dos estudantes através de projetos de trabalho, os quais são um convite à ruptura com práticas escolares embasadas em uma concepção de conhecimento fragmentado. Resgata o sujeito que pensa e que sente através de um currículo integrado que se relaciona com a realidade do estudante.

O estudante, na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e no Ensino Médio, é visto como agente de sua aprendizagem, construtor e protagonista do seu saber, pesquisador, perseverante, criativo, crítico, autônomo, empreendedor, solidário, ético, capaz de identificar e solucionar problemas e de trabalhar em equipe. Nesse sentido, a escola representa um espaço de excelência acadêmica, mas também de construção de projeto de vida.

Sobre a Rede Marista

A missão de promover a vida é construída diariamente graças ao esforço compartilhado de mais de 10 mil Irmãos Maristas e colaboradores. Estar em rede é uma das nossas forças enquanto instituição, e essencial para dar continuidade à uma obra permeada por valores, pelo cuidado e pela fé em um mundo mais fraterno.

Estamos presentes em 23 cidades – 17 no Rio Grande do Sul, cinco na Região Amazônica e em Brasília. Levamos adiante o compromisso de evangelizar por meio de 18 Colégios, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e do Hospital São Lucas. Somos também oito Escolas Sociais Gratuitas, nove Centro Sociais, o Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer) e presença missionária e pastoral em diversos municípios. Temos mais de 47 mil estudantes e educandos. Na área da Saúde, realizamos uma média de 280 mil atendimentos e 47 mil procedimentos por ano.  

Somos a Rede Marista. Estamos presentes onde a missão se faz necessária, de Sul a Norte do país.