Navegar para Cima

Notícias

Construção de mercadinho é usada para desenvolver leitura de mundo

1º ano EF estuda como aplicar a matemática no dia a dia.
06/12/2018
Nosso jeito de educar
1º ano EF estuda como aplicar a matemática no dia a dia.

​​​​​​Relacionar áreas do conhecimento, explorar diferentes leituras e interpretar contextos fazem parte da proposta pedagógica do Marista Ipanema. Pensando nisso, as turmas de 1º ano do Ensino Fundamental, a partir de um projeto de estratégias de leitura, conheceram a obraEconomia de Maria, da autora Telma Guimarães. O contato com o livro deu início a uma nova atividade: o Mercadinho do Ipanema.​

Texto auxiliar da imagem

A obra A Economia de Maria inspirou o projeto do Mercadinho do Ipanema.

A proposta foi desenvolvida em diferentes etapas, desde a separação de sucatas, pesquisa de preços em encartes, organização de produtos e montagem, até a construção de uma lista de compras. Também foi realizada uma dinâmica de compra e de venda, envolvendo diferentes situações-problema. Segundo a professora da turma 113, Karla Sastre, o método utilizado desenvolve a capacidade de compreensão dos estudantes acerca do contexto em que estão inseridos: “Assim, podemos garantir que a leitura de mundo se torne presente e significativa desde de cedo".
​​ Texto auxiliar da imagem

Estudantes criaram seu próprio mercado onde aplicaram conhecimentos matemáticos.

Por meio da construção do mercadinho, as turmas desenvolveram habilidades de reconhecimento de cédulas do sistema monetário nacional, assim como a aplicação de conhecimentos matemáticos na resolução de situações do dia a dia, reconhecendo a aplicabilidade da matemática. Além disso, Karla destaca a integração entre as turmas, professores e famílias durante o processo. “Não existe uma única forma de aprender: é tanto um processo individual quanto coletivo, por isso, construímos uma didática participativa", destaca. Ao trabalharem com o protagonismo e a intencionalidade no dia a dia, os professores reconhecem, nas crianças, a potencialidade de serem agentes do processo de ensino-aprendizagem.​