Navegar para Cima

Notícias

Novos tempos, novos ambientes

Ambientes físicos e digitais que contribuem para a educação integral.
20/12/2018
Inovação
Ambientes físicos e digitais que contribuem para a educação integral.

​É consenso que a fase da adolescência traz uma série de descobertas e transformações: a busca pela identidade se estabelece com mais intensidade, provocando questionamentos e novos olhares sobre o mundo. Soma-se a esse contexto a constante imersão dos jovens no universo digital devido à abundância de estímulos atrativos e imediatistas. Tendo em vista tais aspectos, nossas práticas pedagógicas do Ensino Médio precisam, cada vez mais, estar em sintonia com a realidade dos estudantes.​

Atentos a esses contornos da Educação Básica e ao perfil dos jovens, buscamos explorar cada dia mais os diferentes ambientes da nossa estrutura física, como o Espaço Maker, o Bosque, os Laboratórios, a Biblioteca e o Salão de Eventos. As turmas do 2º ano do Ensino Médio, por exemplo, desenvolveram um projeto de forma interdisciplinar para as aulas de Matemática e Língua Portuguesa, no qual refletiram sobre a cidade em que querem viver e, a partir daí, elaboraram soluções para os problemas de Porto Alegre. Para a realização da atividade, os grupos tiveram dois momentos importantes de trabalho: um no Espaço Maker e um no Salão de Eventos.

Texto auxiliar da imagem

Ambiente digital foi utilizado para a elaboração de soluções de problemas da cidade.

No Espaço Maker, os estudantes utilizaram o Minecraft – um jogo que permite a criação de cidades – para estruturar soluções arquitetônicas, como um prédio para um centro de atendimento para mulheres, uma ciclovia e um metrô. Já no Salão de Eventos, foi realizado um debate, em que precisaram defender suas ideias, justificando sua relevância e comprovando sua viabilidade. ​

Texto auxiliar da imagem

Diferentes espaços estimulam a autonomia dos estudantes.

A professora de Matemática Letícia Saraiva destaca que o uso de diferentes espaços estimula a autonomia dos estudantes. “A sala de aula é um ambiente em que eles já sabem o que vão encontrar, mas em lugares como o Maker e o Salão de Eventos, os estudantes precisam se movimentar de maneira diferente e ter controle sobre como vão se organizar nesse espaço", explica. Segundo Letícia, o mundo está além da sala de aula e a utilização de outros espaços prepara esses jovens para realidades diferentes. “É importante que eles pensem que estudam aqui no Marista Ipanema, mas que fazem parte de um contexto mais amplo de uma cidade que possui problemas e na qual podem ser protagonistas de mudanças", enfatiza.