Navegar para Cima

Notícias

10 dicas para auxiliar na adaptação escolar do seu filho

A orientadora educacional do Marista Rosário explica como auxiliar os pequenos durante os primeiros dias de aula
16/01/2019
Educação
A orientadora educacional do Marista Rosário explica como auxiliar os pequenos durante os primeiros dias de aula

​Com a chegada de um novo ano, surge uma nova preocupação para muitas famílias: adaptação escolar. A escolha de uma nova escola ou mesmo a mudança de nível de ensino gera insegurança, medo, ansiedade dentre outros sentimentos.

Cabe à escola, em parceria com a família, realizar um trabalho que facilite a entrada das crianças nesse novo mundo. Nova escola, nova sala de aula, novos colegas, professores, ambiente diferente, tudo isso implica em grandes mudanças e exige esforço para que a adaptação ocorra de maneira tranquila. 

Mas o que e como fazer para minimizar esses "sintomas" no seu filho? A orientadora educacional dos 1º e 2º anos EF do Marista Rosário, Mariana Arieta, listou dez dicas para ajudar os pais nesse processo. Confira:

1- Mostre segurança: É importante lembrar que houve todo um processo anterior de pesquisas, visitas e finalmente escolha da escola. Seu filho precisa perceber que você está seguro para que ele também esteja. Afinal, como uma criança pode ficar tranquila com uma mudança se não perceber que os pais também estão?

2- Envolva a criança no processo de adaptação: Converse de forma natural sobre a mudança, sobre a importância de crescer, de trocar de nível, de trocar de escola, valorizando os pontos positivos do momento. Leve-o para escolher itens da lista de materiais, do uniforme escolar, etc.

3- Cumpra com a sua palavra: As escolas costumam ter diferentes formas de trabalhar a adaptação. Algumas possuem horários reduzidos nos primeiros dias, outras não. Caso a escola do seu filho não tenha, faça combinados com ele e com a escola e cumpra. Sair escondido ou não chegar no horário combinado pode colocar todo processo a perder. 

4- Mantenha o equilíbrio emocional: Certamente não é algo fácil ver o filho chorar, mas pense que está fazendo o melhor para ele e que a escolha da escola foi criteriosa. Explique que é necessário que permaneça na escola e que você voltará para buscá-lo tão logo esteja no horário combinado. Caso seja difícil para você, peça ajuda para alguém da família que possa acompanhá-lo nesse período de adaptação.

5- Confie nos profissionais da escola: Por mais difícil que pareça, despedir-se é necessário para que o seu filho possa construir vínculos com as pessoas que estarão com ele nas rotinas escolares, estabelecendo figuras de confiança e referência no ambiente. As crianças percebem com facilidade a ambivalência dos pais quando os mesmos dizem: “olha que escola legal", mas se agarram nela como se estivesse protegendo de algum perigo.

2018_02_26_Volta às aulas_tarde (25).JPG

​6- Procure ocupar a cabeça: Dúvidas como: será que ele lanchou? Será que parou de chorar?  Será que está realizando as atividades? Será que brincou no recreio? – são comuns, mas é importante que você tire o foco dessas preocupações e tenha clareza de que as pessoas que trabalham na escola estarão atentas para todos esses aspectos. A dica para aliviar essas angústias é ocupar-se com o trabalho, com amigos.  Em caso de alguma dúvida, procure conversar com a professora ou equipe pedagógica do colégio.

7-Questione, mas não reforce a dificuldade: Pergunte como foi o dia, mas com cautela para não reforçar possíveis queixas. É normal que, para convencê-lo a não ir para a escola, a criança relate não estar gostando, não estar fazendo amigos. Ouça, questione como ele pode agir para que isso não ocorra no próximo dia, converse com os educadores, mas mantenha-se firme no posicionamento de que ir para a escola é uma necessidade e não uma opção.

8- Não ofereça recompensas: A escola não pode ser vista como algo ruim, portanto, não cabe utilizar nenhuma recompensa. Se for necessário, negocie em conjunto com a escola, a possibilidade de horários reduzidos e gradativos para facilitar, mas nunca use “prêmios". Em vez disso, combine algo como: “no fim de semana, o que você acha de fazer um passeio bem legal para comemorar a primeira semana de aula? "

9- Não se preocupe com possíveis recaídas: É comum as crianças estarem aparentemente adaptadas e de repente surge uma recaída. Normalmente isso ocorre após o primeiro final de semana ou até mesmo em um dia qualquer. Isso não quer dizer que tenha ocorrido algo. Tenha paciência e tranquilidade para recomeçar.

10-  Seja afetivo, mas firme: Por mais difícil que seja, mantenha o seu posicionamento diante do choro do seu filho. Levá-lo para casa não só não irá resolver, como irá prejudicar ainda mais o processo de adaptação. Lembre-se que é só uma fase, vai passar e vocês vão superar, juntos! Depois disso, é só curtir cada novidade, cada aprendizagem que a escola irá oportunizar.

 

Projeto Acolhida e Adaptação

No Marista Rosário, o Serviço de Orientação Educacional desenvolve o projeto Acolhida e Adaptação com os estudantes novos de todos os níveis de ensino. As iniciativas favorecem a adaptação do estudante e da família à rotina e ao ambiente escolar. Ações como: reuniões com professores, momentos de encontro com a equipe pedagógica, apadrinhamento dos novos alunos por colegas que já estudam na escola fazem parte do projeto. Esse, tem como objetivo, promover a integração e o sentimento de pertença, a fim de tornar a vida escolar ainda mais significativa.​​​