Navegar para Cima

Notícias

As diferentes representações de moradia é tema de pesquisa no Nível 1

Projeto "A Casa Engraçada" proporcionou a construção de saberes em diferentes áreas do conhecimento
06/09/2019
Projetos
Projeto "A Casa Engraçada" proporcionou a construção de saberes em diferentes áreas do conhecimento

​A proposta pedagógica marista instiga que novos desafios e possibilidades sejam repertório na Educação Infantil, para que as crianças se apropriem de novos saberes e constituam novos conhecimentos. Foi a partir da música A Casa, de Vinícius de Morais e da curiosidade dos estudantes que o projeto A Casa Engraçada surgiu na turma do Nível 1 e possibilitou que esses objetivos fossem vivenciados.

Para aprender mais, as crianças realizaram pesquisa de campo, visando oportunizar o contato e a observação das diferentes moradias e a diversidade de materiais utilizados nas obras. Além observarem a estrutura da escola por fora, uma das atividades foi a visita à uma casa alternativa construída em um container e em um bairro planejado de Passo Fundo. Nesta etapa, algumas associações já foram construídas, “tem um prédio morando em cima da nossa escola", e “essa casa não é a casa engraçada, ela tem teto, chão, parede e banheiro".

A partir da temática, muitos comentários foram surgindo, sobre vida, espécies e suas moradias, “a casa dos passarinhos é nos ninhos e não tem porta", “os peixinhos moram no mar", e outros despertando o imaginário, os saberes literários e as relações, “o lobo da floresta não consegue derrubar nossa escola porque ela é de tijolos e pedras bem fortes", "as prôs moram na escola, na sala dos prôs", “a casa de palha é fácil para fazer, por isso que o lobo derrubou ela".

O assunto levantou hipóteses para pesquisa e a turma aprofundou sua investigação para além do aspecto arquitetônico das casas. Dessa forma, as crianças tiveram a oportunidades de discutir o modo de vida das pessoas que habitam as moradias, estabelecendo relações entre a cultura, economia e clima e também, as moradias dos animais, “pessoas moravam em cavernas e faziam fogo no chão para se aquecerem do frio e espantarem os animais, “em alguns lugares onde é muito frio, o telhado das casas é em formato de triângulo para que a neve não se acumule nos telhados," “as casas servem para proteger as pessoas da chuva, frio e de outras coisas".​

O projeto oportunizou que as crianças tivessem contato com os diversos conceitos de moradia e também, para a coordenadora pedagógica Graziela Casagranda, o estudo foi uma forma de ampliar o conhecimento de mundo das crianças, valorizando seus interesses, curiosidades e indagações, além de potencializar seu desenvolvimento e aprendizagem em contextos significativos e potentes.