Navegar para Cima

Nossas Notícias

Experimente 8 brincadeiras que ajudam no desenvolvimento infantil

Atividades lúdicas aguçam habilidades cognitivas, físicas e sociais.
27/07/2018
Nosso jeito de educar
Atividades lúdicas aguçam habilidades cognitivas, físicas e sociais.

A brincadeira é tão importante que está prevista na Declaração dos Direitos da Criança, adotada pelas Nações Unidas em 1959. Mais que diversão, os momentos lúdicos proporcionam que as crianças aprendam a se relacionar com o outro, a negociar atitudes além de desenvolver o universo simbólico, a fantasia, a criatividade e a alegria.

Esses momentos de brincadeira precisam começar já na primeira infância. Jogos e brinquedos instigam o intelecto, desafiam a capacidade de criação, a linguagem e o desenvolvimento motor das crianças, estreitando laços entre os pequenos e seus familiares. Existem muitas maneiras de promover estas brincadeiras – e a participação dos pais é sempre bem-vinda. Confira, a seguir, sugestões variadas para vivenciarem e se divertirem em casa.


1. Brincadeiras motoras / atividades motoras

Disponibilize alguns brinquedos ao longo de um caminho para que sejam explorados pela criança. Brinquedos sonoros, caixas de papelão são elementos desafiadores significativos para a aprendizagem. A atividade vai ajudar a criança a construir a consciência corporal, exercitando o equilíbrio e fortalecendo o tônus muscular.


2. Adivinhação

Pense num objeto ou num animal. Comece a dar pistas para que os participantes da brincadeira adivinhem o que é. Uma dica é responder a perguntas de sim/não: faz barulho? É de comer? Dá para carregar no colo? Essa brincadeira estimula a imaginação, a linguagem e o raciocínio.

 

3. Mapa do tesouro

Que tal uma aventura ao ar livre, no quintal de casa ou no condomínio? A ideia é reunir os amigos ou a família para explorar o ambiente. O objetivo, aqui, é trabalhar a sociabilidade. Desenhe um mapa dos arredores. Se as artes visuais não são o seu forte, crie charadas com pistas que levem de um lugar a outro, até que a recompensa escondida seja encontrada. Um piquenique saudável pode receber a turma junto com o tesouro!

 

4. Brinquedos de montar

Blocos de montar e peças encaixáveis desenvolvem o raciocínio lógico e a noção espacial. Para as crianças até 2 anos de idade é importante que as peças sejam de madeira para facilitar o manuseio, painéis vazados, com espaços de diferentes formatos para inserir os objetos, são boas opções.

A imaginação pode ir além! Materiais não estruturados como caixas, blocos de madeiras de tamanhos diversos, tecidos, cestos e bacias também são objetos que aguçam a curiosidade e a imaginação das crianças, ajudando na construção da noção de espaço e ampliação do repertório corporal.

 

5. Jogos de tabuleiro

Demandam memória, pensamento estratégico, respeito às regras e capacidade de lidar com adversidades. Além disso, são uma diversão para toda a família. Ensine a criança a jogar damas, gamão ou mesmo xadrez. Tabuleiros coloridos e de grande porte, com personagens que cumpram tarefas mirabolantes, podem despertar mais a atenção.

 

6. Caixa sensorial

Essa solução caseira é interessante para os bebês ampliarem seus vocabulários aguçando os sentidos, pode  se tornar mais complexa  a medida que as crianças vão crescendo. A atividade consiste em apalpar um objeto misterioso para descobrir, por meio do tato, o que é aquilo. Abra dois orifícios nas laterais de uma caixa de sapatos, para que o pequeno possa enfiar as mãos por ali. Dentro do recipiente, esconda itens que façam parte do dia a dia da criança: uma fruta, um brinquedo, um livro e por aí vai. Varie as texturas e os tamanhos. Aproveite ainda para customizar a caixa sensorial com a criança, colocando tiras de revistas, jornais ou mesmo usando a têmpera.

 

7. Amarelinha

Quando o clima estiver bom, recorra a essa brincadeira atemporal. Além de um exercício físico excelente para a coordenação motora, o simples ato de pular nas áreas demarcadas e desviar da pedrinha gera uma saudável competição entre a criançada. Para tornar a disputa ainda mais calorosa, ensine-os a desenhar percursos diferentes: com mais casas, em espiral, com outras formas geométricas... A imaginação não tem limites.

 

8. Faz de conta

A fantasia é um meio de elaborar abstrações e encontrar alternativas para os problemas que possam surgir, contribui para nossa capacidade simbólica de inventar, de imaginar e criar coisas inéditas. Reserve um tempinho para a contação de histórias, a leitura e os desenhos feitos à mão. Proponha à criança que crie suas próprias narrativas: se este cadeado tivesse uma casa, como ela seria? Onde um cachorro falante poderia estudar? Embarque na brincadeira e pense você, também, “fora da caixa". ​Outra forma de faz de conta é reutilizar materiais para construir brinquedos ou representar, como casas, aviões, carros, robôs, naves, cavalos, barcos...


Aqui, tem muitas outras brincadeiras que você pode realizar com as crianças:

Gostou das dicas de jogos e brinquedos para estimular o desenvolvimento infantil? Tem outras sugestões? Deixe um comentário e participe do debate!